XARÁ

É uma palavra que faz lembrar um mestre, um ancião, um líder, um ‘bamba’ ou uma bebida, certo?! Mas não, completamente ao lado.
Xará não é uma mãe de santo, nem o chefe de uma tribo, nem um mestre de charadas (chará-das desculpem não resisti ao trocadilho!), nem é de beber.

Começando pelo início, relativamente à origem desta expressão: sabe-se que não é uma palavra de origem portuguesa, e é certo que a expressão é beeeeeem antiga, podemos encontrar a origem desta palavra nas primeiras páginas da história do Brasil. Esta expressão é atribuída a duas origens, ao idioma indígena Tupi-guarani mas também é atribuída aos escravos de origem africana que vieram para o Brasil trazendo os seus próprios idiomas.

XARÁ
Pessoa com o mesmo nome que outra
Homónimo

Ou seja, eu sou xará da Sofia Vergara por exemplo (dito assim parece que temos um parentesco!).
É uma expressão brasileira muito comum, na TV vira e mexe o apresentador quando recebe um convidado ou vai passar a emissão a um colega com o mesmo nome se referem à pessoa como xará “Vem aí o meu xará” ou “Fala aí xará”.

Pode também ser usado como forma de cumprimento afetuoso entre amigos e companheiros: “ Oba xará tudo legal?” mesmo que não tenham o mesmo nome.

É uma expressão que não se usa em Portugal.